Dançarinos de MC Pipokinha saem do grupo e expõe atitudes abusivas da cantora – Gossip Time
Siga o EGOBrazil nas Rede Sociais

Musica & Youtube

Dançarinos de MC Pipokinha saem do grupo e expõe atitudes abusivas da cantora

Publicado a

em

MC Pipokinha mais uma vez se envolveu em polêmica, mas, desta vez, dentro do seu próprio núcleo. Seus dançarinos e grandes amigos, Jonas Kaik e Wesley Ferreira anunciaram repentinamente, nesta sexta-feira, 25 de agosto, que estavam de saída do grupo e não participariam mais dos shows com a cantora.

Sem muitos detalhes, a dupla disse que iria voltar às redes futuramente para explicar sobre a situação: “É com uma paz imensa que nós viemos anunciar a nossa saída do time da Mc Pipokinha. Sabemos que muitos de vocês vão nos espetáculos para nos prestigiar e em respeito à vocês nós viemos dar essa satisfação. Obrigado por todo amor e carinho que nos foi dado nesta temporada. Em breve iremos nos pronunciar pra vocês sobre o ocorrido”.

Pronunciamento oficial

Depois, na noite deste último sábado, 26 de agosto, Wesley e Jonas publicaram um vídeo no Instagram e expuseram tudo que viveram ao lado de Pipokinha nesses últimos meses. Segundo os artistas, eles não aguentavam mais estar em uma relação tóxica de trabalho, além de terem que escutar diversas ofensas vindas da colega.

“Queria deixar claro para vocês que da nossa parte não rola nenhuma ingratidão. Muito pelo contrário, nós somos completamente gratos pelo espaço que ela e a empresa dela deu para que a gente pudesse ter representado o nosso trabalho e nossa arte”, disse Wesley.

“Ninguém sabe o que rola por trás dos bastidores”, afirmou. Os dançarinos ainda colocaram cortes de vídeos em que Pipokinha aparece brigando com eles.”Quer ficar emburradinho, fica. Engole seco”, dizia ela.

Fotos: Reprodução/Instagram

Fotos: Reprodução/Instagram

Jonas ainda contou que eles não queriam transformar essa situação em uma briga pública, mas que tudo explodiu por conta das atitudes de Pipokinha: “A gente não ia expor nada, a gente já estava com uma data certa que era sair dia 3, íamos cumprir a agenda, mas ela mesma forçou uma situação que eu não achei legal.”

“O nosso psicológico não estava mais aguentando. Palavras que ela usou na frente de toda equipe dela, convidados, em um camarim. Ela falou: ‘A minha equipe é um lixo. Ninguém da minha equipe faz. Como consequência da forma que ela nos tratou, nós tivemos que sair de uma forma precipitada. Não saímos de uma forma amigável por conta do jeito que ela nos tratou”, complementou Wesley.

Jonas contou que a “fama subiu para a cabeça” da MC e mostrou outro áudio da cantora, em que ela dispara: “Estou dando dinheiro, te sustentando”.

“Eu a vejo como falsa, ingrata, grossa, não sabe valorizar a equipe que tem, fala mal de uma pessoa aqui, mas daqui a pouco está abraçada ali”, detonou Wesley. Jonas concordou: “Hipócrita, ignorante. Esse foi o motivo da gente ter saído. Ela não sabe trabalhar em equipe. Ela pode ter talento, as músicas são f*das, mas a personalidade dela não é uma pessoa que dá para trabalhar”.

Outro áudio de Pipokinha foi compartilhado: “Cala boca o caralh…, vai ouvir até eu descer da van. Usa fone, finge que não está ouvindo. Calado, fazer pior não pode. Ou desce da van. É como eu quero e deu”, dizia ela.

Nos Stories, Wesley também refletiu: “A dica para vocês é: não aceitem serem tratados de qualquer forma. Ninguém merece ser tratado de qualquer jeito, independentemente da situação e de quem seja a pessoa, seja ela sua amiga, patrão, tia ou mãe. O respeito e a educação são a base de tudo”.

“Mais uma para se pronunciar e contar para vocês a experiência. Talvez com esse tanto de gente se mostrando vocês parem de achar que é marketing para crescer em cima dessa mina suja”, escreveu em outro story.

Fotos: Reprodução/Instagram

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Tiago Ghidotti

Continue Lendo

Mais Lidas

© Todos os direitos reservados - Parceiro de Conteúdo do EGOBrazil